Colunistas

130 ANOS DA MORTE DE D. PEDRO II (PERCIVAL PUGGINA)

  No dia 5 de dezembro de 1891, há 130 anos, morria em Paris a extraordinária figura humana de D. Pedro II, último monarca brasileiro e aquele que mais entranhadamente amou nosso país. Porque nascido aqui, diferentemente de seus antepassados que reinaram no Brasil (D. Maria I, D. João VI, D. Pedro I), esta era sua pátria e seu chão...

Leia mais...

CURRAIS NOVOS: FIGURAS DA MINHA ÉPOCA (I) (MINERVINO WANDERLEY)

O texto abaixo tem um teor muito pessoal e talvez não tenha interesse para quem não tem ligações com a Princesa do Seridó. Mas faço questão de tornar público o sentimento que carrego. Não há distinção de afeto em relação à ordem dos amigos que abaixo listo. Tem ex-colegas do Banco do Brasil, agregados, turma da cidade, funcionários das minas,...

Leia mais...

ONZE HOMENS E UM SEGREDO (PERCIVAL PUGGINA)

puggina.org Arthur Lira diz não haver acordo para criar a comissão necessária ao andamento da PEC que pretende restabelecer a idade de 70 anos para aposentadoria compulsória de ministros do STF. Com isso, ele quer dizer que ouviu os líderes e não percebeu suficiente apoio à medida. Ouviu? Não ouviu? Ouviu os que queria ouvir? Difícil saber. Episódios assim, se sucedem...

Leia mais...

CASA DURVAL PAIVA PROMOVE DIA DE DOAR NESTA TERÇA-FEIRA

Gerar uma grande corrente de generosidade, fortalecendo o hábito de doar como parte do cotidiano das pessoas é o que promove o #DiadeDoarRN, que acontece, na próxima terça-feira, 30 de novembro. Encabeçado por instituições filantrópicas potiguares, que sobrevivem de doações e gestos solidários da sociedade, que abraçaram essa campanha mundial. Rilder Campos, presidente da Casa Durval Paiva, ressalta a importância...

Leia mais...

DESENHANDO CONTRA O CÂNCER INFANTOJUVENIL (Sandra Fernandes da Costa)

Juliette, por Manoel Patrício (CDP) Desde os primórdios, o homem utilizou a arte de desenhar como mecanismo de comunicação, expressando suas emoções e sentimentos como forma de expressão linguísticas, através das pinturas rupestres, assim, é possível perceber tamanha importância que o desenho tem em nossas vidas. O uso do desenho como recurso terapêutico, para pacientes com câncer, fundamenta o desenvolvimento da...

Leia mais...

CASA DURVAL PAIVA RECEBE HOMENAGEM NA CÂMARA MUNICIPAL DE PARNAMIRIM

A Casa Durval Paiva de Apoio à Criança com Câncer acolhe a criança e ao adolescente com câncer e doenças hematológicas crônicas e seus familiares, antes, durante e após o tratamento, buscando a cura. Aliado a esse trabalho, a instituição vai receber uma homenagem, nesta sexta-feira, 19 de novembro, na Câmara Municipal de Parnamirim, por seu comprometimento, dedicação e...

Leia mais...

O AMOR QUE A MUDANÇA LEVOU (MINERVINO WANDERLEY)

REPRODUÇÃO Tinha 13 para 14 anos quando nos mudamos para o novo bairro. Naquela idade, não perguntávamos aos pais as razões desse tipo de coisa. O negócio era ir – de preferência no caminhão -, olhar para a antiga morada, dar um adeus e tocar em frente. Sem sentimentalismos, coisa que eu só via naquelas novelas melosas que passavam na...

Leia mais...

HISTÓRIA DE AMOR ENTRE PADRASTO E FILHO COM CÂNCER

FOTO: DIVULGAÇÃO Por Lady Kelly Farias da Silva* São vários os fatores geradores de crise nas famílias e o diagnóstico positivo de câncer em um filho pode ser considerado um deles, por ser um estressor, que pode afetar o desenvolvimento da criança, interferir nas relações sociais e, até mesmo, dentro do contexto familiar, pois deixa todos os envolvidos mais vulneráveis emocionalmente. Cada...

Leia mais...

CURRAIS NOVOS, MINHA ETERNA NAMORADA!  PARTE II (MINERVINO WANDERLEY)

FOTO: CLETO FILHO Antes de voltar às agradáveis lembranças, quero fazer um reparo: a primeira “república” que me acolheu era de Celso Lisboa, Antônio Pípolo e Rênio Brito. Com os dois primeiros, contemporâneos do Colégio Marista, continuo sempre em contato. Já Rênio, parece que foi para Portugal e sumiu. Assim, peço a Celso, Pípolo e Rênio, que aceitem as desculpas...

Leia mais...

A EXPEDIÇÃO À INDIA DE 1497-1499 (MANOEL DE OLIVEIRA CAVALCANTI NETO)

ILUSTRAÇÃO Os europeus dominaram o Atlântico, uniram o mundo ao chegarem à Índia em 1498, quebraram a barreira dos oceanos e promoveram a globalização, embora a comunicação ainda fosse lenta e demorada. O conhecimento adquirido pelos nautas portugueses, muitas delas nas viagens secretas pelo Atlântico Sul, entre 1488, quando Bartolomeu Dias contornou o Cabo da Boa Esperança e navegou por...

Leia mais...