Minervino Wanderley

UM PAPO COM RAUL (MINERVINO WANDERLEY)

Meu amigo, Raulzito! Você foi um privilegiado, sabia? Viu o mundo mudar todinho. Já eu, não vi quase nada e tem pouca coisa nesse mundo que eu saiba demais. Não vi Cristo ser crucificado, mas vi muito inocente ser condenado por amor à cruz. Não vi o amor ser assassinado, mas vi assassinarem em seu nome. Não vi Maomé cair na terra...

Leia mais...

CURRAIS NOVOS: “SOU DO TEMPO DE…” (MINERVINO WANDERLEY)

No Brasil, a maior produção histórica de scheelita ocorreu no estado do Rio Grande do Norte, na região do Seridó, especialmente no município de Currais Novos - REPRODUÇÃO Tem gente que não gosta de ouvir alguém contar uma história começando com “Sou do tempo em que...”. Pois eu sou do tempo em que as pessoas só começavam assim. Quer ver...

Leia mais...

Amor, Estranho Amor (Minervino Wanderley)

Ilustração O danado do amor, exatamente por ser um sentimento, é uma coisa muito envolta em mistérios. Ninguém sabe quando ele chega, nem muito menos quando parte. É lindo, sem dúvidas, mas é muito esquisito. Muitos de nós já nos confundimos com ele. Todos, com raras exceções, viveram "amores” durante a vida. Ou assim pensam. Muitos têm a convicção de...

Leia mais...

CASTELOS DE AREIA (MINERVINO WANDERLEY)

ILUSTRAÇÃO Palavras são palavras, e a gente nem percebe o que disse sem querer...   Demorei um pouco a entender o verdadeiro significado para 'castelos de areia'. Quando criança, achava que eram aquelas “construções” que fazíamos na beira da praia. Sempre que estávamos próximos a terminar vinha uma antipática onda e derrubava tudo, transformando a obra em areia. A solução era subir para...

Leia mais...

“SINTONIA” (MINERVINO WANDERLEY)

  Numa praia, final de tarde, você chegou à minha vida Primeiro, o olhar promissor. Depois,  o sorriso que fez a noite virar dia A voz, rouca e sensual, emitiu sons que só meu coração decifrou Éramos tantos naquele momento, mas para mim estávamos sós Eles, pobres mortais, eram meros coadjuvantes do início de uma história de amor E assim foi. Outra tarde, outra praia,...

Leia mais...

CURRAIS NOVOS: FIGURAS DA MINHA ÉPOCA (MINERVINO WANDERLEY)

O texto abaixo tem um teor muito pessoal e talvez não tenha interesse para quem não tem ligações com a Princesa do Seridó. Mas faço questão de tornar público o sentimento que carrego. Não há distinção de afeto em relação à ordem dos amigos que abaixo listo. Tem ex-colegas do Banco do Brasil, agregados, turma da cidade, funcionários das minas,...

Leia mais...

O AMOR QUE A MUDANÇA LEVOU (MINERVINO WANDERLEY)

REPRODUÇÃO Tinha 13 para 14 anos quando nos mudamos para o novo bairro. Naquela idade, não perguntávamos aos pais as razões desse tipo de coisa. O negócio era ir – de preferência no caminhão -, olhar para a antiga morada, dar um adeus e tocar em frente. Sem sentimentalismos, coisa que eu só via naquelas novelas melosas que passavam na...

Leia mais...

CURRAIS NOVOS, MINHA ETERNA NAMORADA!  PARTE II (MINERVINO WANDERLEY)

FOTO: CLETO FILHO Antes de voltar às agradáveis lembranças, quero fazer um reparo: a primeira “república” que me acolheu era de Celso Lisboa, Antônio Pípolo e Rênio Brito. Com os dois primeiros, contemporâneos do Colégio Marista, continuo sempre em contato. Já Rênio, parece que foi para Portugal e sumiu. Assim, peço a Celso, Pípolo e Rênio, que aceitem as desculpas...

Leia mais...

CURRAIS NOVOS, MINHA ETERNA NAMORADA! (MINERVINO WANDERLEY)

FOTO: REPRODUÇÃO FACEBOOK Foi no final da tarde de 22 de outubro de 1975 que começou esse namoro. Naquele dia, uma terça-feira, cheguei a Currais Novos para ingressar no quadro de funcionários do Banco do Brasil. Fiz o concurso em 1974 e, em abril de 1975, veio o resultado da minha aprovação. Naquela época era a glória trabalhar no BB....

Leia mais...

QUERO MEU MUNDO DE VOLTA! (MINERVINO WANDERLEY)

O mundo ficou sem graça, chato, enfadonho, esnobe e cheio de frescuras. Não quero este mundo. Não pense, caro amigo, que vai ser mais um papo sobre saudosismo. Apenas quero aquele mundo no qual a gente podia dizer o que quisesse e que não havia ninguém pastorando. É verdade. Um exemplo? Creio que da turma de meninos da rua...

Leia mais...