EM SUA 1ª OPERAÇÃO, BARCA SUSTENTÁVEL RETIRA 9.000 KG DE PLÁSTICO DESCARTADO NO OCEANO; CONFIRA AS IMAGENS

“A Grande Mancha de Lixo do Pacífico agora pode ser limpa”, anunciou o empresário holandês Boyan Slat, inventor que se dedica a criar sistemas e dispositivos de coleta de lixo despejado nas águas.

Testes recentes em sua embarcação Ocean Cleanup, chamada “System 002”, inventada para lidar com os 1,8 trilhão de detritos plásticos espalhados no mar foram um sucesso, levando Slat a prever que a maioria das manchas de lixo oceânicas poderiam ser removidas até 2040.


Com o passar dos anos, as muitas interseções que formam as correntes oceânicas criaram enormes ilhas flutuantes de lixo plástico – cinco redemoinhos lentos que puxam o lixo de milhares de quilômetros de distância para um único lugar.

O dispositivo flutuante de limpeza aquática, que tem sido melhorado continuamente desde 2013, agora foi apelidado de “Jenny” e é um sucesso absoluto: recentemente, ela recolheu com sucesso 9.000 kg de lixo em sua primeira excursão oficial.

Além disso, ele é neutro em carbono, capaz de capturar microplásticos tão pequenos quanto 1 milímetro de diâmetro, e não oferece ameaça ou risco à segurança dos animais selvagens, uma vez que é equipado com câmeras, radares e alertas sonoros.

A “Jenny” consiste em dois barcos arrastando uma longa rede em forma de “U” atrás deles.

A limpeza do oceano
Para tornar essa façanha possível, a Ocean Cleanup usa modelagem computacional para prever onde e em que velocidade os movimentos na água irão deslocar o plástico. Em seguida, enchem a rede de lixo, puxam ela a bordo e a encaminham até a costa, onde o material é reciclado.


A equipe também está transformando parte do lixo que coleta em óculos de sol – e os ganhos com a venda desses produtos serão destinados a organização sem fins lucrativos que também atuam na limpeza das águas.

A linha de óculos feitos com material reciclado é a primeira do tipo a ser criado a partir de detritos oceânicos recuperados – mas Boyan Slat afirma que não será a última.


Esperança para o futuro
Slat estima que 10 Jennies poderiam limpar metade da área de lixo em cinco anos, e se dez Jennies fossem implantadas nos cinco maiores giros oceânicos, 90% de todo o plástico flutuante poderia ser removido até 2040.

Existem outros desafios, como o fato de que milhões de novos pedaços de plástico fluem para os oceanos todos os anos e que os investidores podem acreditar que a limpeza dos rios é mais fácil, mais barata e não requer o uso de combustíveis fósseis para mover os barcos.

E é por isso que a organização sem fins lucrativos de Slat também lançou uma série de barcas “interceptadoras” para limpar rios poluentes, interceptando o plástico antes que ele chegue ao oceano.

De toda forma, este é um grande avanço na limpeza de plásticos oceânicos, e vale a pena comemorar!

Fonte: CBS News
Fotos: Ocean Cleanup

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.