ESSA TAL FELICIDADE!

Ilustração

Por Minervino Wanderley

Felicidade, happiness, felicità, felicidad, glück, bonheur, seja em que língua for, em qualquer lugar do mundo, as pessoas a buscam com sofreguidão e se sentem felizes pelos mais variados motivos. Uns, pela quantidade de dinheiro nas suas contas bancárias. Outros, pela aquisição de um bem, pela recuperação de um objeto perdido ou até mesmo pela vitória do seu time. Claro que há exceções, mas a regra, creio eu, é mais ou menos essa.

Observo que ela é procurada como se fosse um bem físico, que se pudesse comprar num supermercado ou numa loja de conveniência. Tenho a absoluta certeza de que muitos gostariam que ela fosse adquirida como um plano oferecido pelas redes de TV ou telefone/internet. Eles ligariam num 0800 ou acessariam o app FELICIDADE e pediriam:

– Por favor, faça uma recarga de seis meses de felicidade. Pode colocar no mesmo cartão que está cadastrado.

Alguns, mais afoitos, diriam:

– Quero o plano ilimitado.

É verdade. As pessoas não sabem que a felicidade não é uma “coisa”. Nem tampouco é perene. Quem descreve bem o assunto é Odair José, que num momento de rara inspiração disse: “Felicidade não existe, o que existe na vida são momentos felizes. ” Acertou na mosca! Só sabemos da doçura do mel porque conhecemos o sabor do amargo. Como num eletrocardiograma, a vida é cheia de altos e baixos.

Por que não se sentir feliz quando podemos ver o multicolorido do nosso mundo? É um quadro que ninguém conseguiu pintar! E ouvir uma bela música? O coração, sinceramente agradece! Ter e apertar entre suas mãos as mãos da pessoa amada? Bom demais! Fechar os olhos e deixar que o olfato identifique aquele perfume que lhe transporta pelo tempo e espaço? Uma autêntica viagem! O gosto de um beijo apaixonado? Sabor inexplicável! E estar com sua família em finais de semana divertidos? Não tem igual!

Infelizmente, isso fica para os afortunados, aqueles poucos que cultivam sentimentos que provêm da alma. Na realidade, a dureza do mundo vem crescendo e deixando as pessoas mais céticas com relação à felicidade. A mídia – de uma forma geral – e que possui o poder de mexer com o íntimo da população, só traz mazelas, desigualdades, maldades, corrupções, etc. Isso influencia, em muito, tal comportamento. As pessoas ficam com os corações embrutecidos, áridos. Nesse triste cotidiano, a violência faz mais sucesso do que a paz; a morte dá mais audiência do que um nascimento. É lamentável, mas é a crua verdade.

Se assim é, convoco você, que ainda não foi contaminado por tudo isso, a fazer sua parte. Está sem motivação? Ouça “Epitáfio”, com Titãs, e você compreenderá o que quero dizer. Ame mais, trabalhe menos. Sorria mais, se irrite menos. Não economize seu amor. Nunca! Deixe as contas bancárias, roupas, objetos, para aqueles que jamais entenderão que a grande razão de estarmos aqui é justamente o amor. Pode até ser sozinho. Cada um sabe o seu jeito. Eu, particularmente, sou do time de João Gilberto: “É impossível ser feliz sozinho”.  O amor chega e parte sem que a gente possa sequer questionar.  Vai embora quando algo termina, mas sempre deixa sua semente plantada para que ele nunca morra dentro de você. Digo e repito: o Amor é o combustível da vida!

Se está com o coração vazio, pense que outras pessoas também sentem o mesmo e, quem sabe, uma delas está pertinho de você? Olhe à sua volta e veja que existe vida além do que consegue enxergar. Se está amando agora, vá fundo e não queira saber de mais nada. Que a pessoa amada seja sua prioridade. Não a perca a troco de pouca coisa. Desacertos? Existirão sempre. Vale a pena? Ouça Altemar Dutra cantando “Brigas” e você vai mudar de ideia. Acha que o passado não vive dentro de você? Ouça “Detalhes”. Roberto Carlos vai lhe mostrar coisas que andavam adormecidas,

Por fim, digo a vocês, apaixonados: ame seu parceiro por inteiro. Inclusive com seus erros e defeitos. É mais fácil consertar um erro do que encontrar um novo amor. Disso eu tenho certeza! Assim, essa tal felicidade pode até gostar e ficar um bom tempo lhe fazendo companhia.

Diante disso, nada melhor para descrever a felicidade encontrada através do amor do que “La Vie En Rose” (A vida cor de rosa), de Edith Piaf:

Olhos que fazem baixar os meus
Um riso que se perde em sua boca
Aí está o retrato sem retoque
Do homem a quem eu pertenço

Quando ele me toma em seus braços
Ele me fala baixinho
Eu vejo a vida em rosa

Ele me diz palavras de amor
Palavras de todos os dias
E isso me toca

Ele entrou no meu coração
Um pouco de felicidade
Da qual eu conheço a causa

É ele para mim, eu para ele na vida
Ele me disse, me jurou pela vida
E desde que eu o percebo

Então sinto em mim
Meu coração que bate
Noites de amor a não mais acabar

Uma grande felicidade que toma seu lugar
Os aborrecimentos e as tristezas se apagam
Feliz, feliz até morrer

Quando ele me toma em seus braços
Ele me fala baixinho
Eu vejo a vida em rosa

Compartilhe:

Comentários (8)

  • Evaristo Responder

    Parabésn! (Via Whatsapp)

    27 de dezembro de 2020 at 16:55
  • Socorro Responder

    Crônica linda !!! Parabéns ! Observa-se a felicidade de um homem apaixonado . (Via Whatsapp)

    27 de dezembro de 2020 at 16:54
  • Cunha Responder

    Também é felicidade a gente ler mensagens escritas com o coração, por pessoas de carne e osso e, o que é mais gratificante, que conhece a gente… está ao nosso alcance, diferentemente daqueles autores que só vemos à distância e nem imaginamos que peida e trepa, não tanto quanto o autor desse tratado sobre “Essa tal felicidade” que, certamente, não será alcançada para parar, sentar e saborear, como pensa o cachorro quando lhe amarram uma linguiça além do focinho. Pensa numa boa notícia.

    27 de dezembro de 2020 at 16:51
  • Luciana Responder

    Parabéns pelo lindo texto . (Via WhatsApp)

    27 de dezembro de 2020 at 16:39
  • Tânia Responder

    Fechou o Ano com um texto belíssimo….
    Parabéns irmão!

    27 de dezembro de 2020 at 09:58
  • Ione Macedo de Medeiros Salem Responder

    Linda e verdadeira crônica! A felicidade são momentos e está em todas as pessoas e na natureza , se você tiver sensibilidade e o amor dentro de você . Procure-a dentro de si , nunca nos outros . Sais os sentimentos que lhe tornam feliz , ou não !

    25 de dezembro de 2020 at 22:22
  • Tania Araujo Responder

    Nunca e tarde pra aprender. Valeu,Manel

    25 de dezembro de 2020 at 22:04
  • Alberto da Hora Responder

    Belo e oportuno texto.

    25 de dezembro de 2020 at 20:54

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.