MEU ADEUS A JÁCIO MAMEDE GALVÃO

 

A vida é travessia entre as estações incertas nesse universo infinito. Nascemos e renascemos em cada passagem nas planícies da existência humana.
Jácio Mamede me ensinou a ser sertão. Ouvimos pelos caminhos da Toscana o bater da sola dos nossos passos peregrinos. Subimos montanhas. Visitamos templos. E sempre estava na pessoa dele a virtude como marca atávica dos nossos antepassados sertanejos.
Amigo Jácio, vai ser doloroso voltar à Carnaubinha e não ouvir a voz do nosso sertão. Certamente, à tardinha , a Acauã açoitou com seu canto triste a cordilheira de Acari . E anoiteceu na gente um pranto calado na garganta.
Meu abraço de saudade.

Francisco de Sales Felipe

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *