Ninguém aceita fazer a defesa do anestesista que estuprava pacientes

Foto: Reprodução TV Globo

O anestesista Giovanni Quintella Bezerra, acusado do estupro de uma grávida durante o parto no Hospital da Mulher, em São João de Meriti (RJ), ainda não conseguiu um advogado que assuma a sua defesa.

Segundo o advogado de uma das mulheres que podem ter sido vítimas do médico, o juiz da ação penal fixou, na sexta-feira (29), dez dias de prazo para que a Defensoria Pública do Rio de Janeiro designe um defensor para o médico, o que ainda não foi feito.

Procurada pelo Espaço Vital, a Defensoria foi lacônica: “Estamos avaliando, e temos prazo”.

Fonte: espacovital.com.br

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.