O/a Assistente Social em meio à pandemia do Covid-19

  

A atuação desses profissionais inclui atividades na área da saúde, como a assistente social Marcia Medeiros (CRESS 5646 14ª/ Região), tutora, na Pitágoras de Mossoró, que comenta também sobre o cenário e desafios da profissão no Brasil

Na próxima sexta-feira, 15 de maio, é comemorado o Dia do Assistente Social. Este/a profissional é de fundamental importância no que se refere a defesa intransigente dos direitos humanos, atuando na busca pela promoção do acesso as políticas públicas, sobretudo na área da saúde. Em meio a pandemia do Covid-19, profissionais dessa categoria estão trabalhando junto às famílias das vítimas hospitalizadas, buscando resguardar seus direitos perante a constituição, na humanização dos procedimentos em na atenção sócio econômica por meio das políticas emergenciais. O Serviço Social faz parte do rol das profissões da saúde, mas não se restringe apenas a ela, o que acaba reforçando a importância do seu trabalho em situações de emergência como o combate à pandemia do Coronavírus.

Márcia Medeiros, tutora de Serviço Social, na Pitágoras de Mossoró, enfatiza a importância da categoria no âmbito da saúde que é uma política pública da seguridade social, sendo esta de assistência universal. “O papel do/a assistente social, mediante o Código de Ética Profissional (resolução 273/93), não está relacionado à comunicação de boletins médicos, mas à prestação de auxílio para familiares e enfermos acessarem seus direitos. Realizando um trabalho de forma articulada com demais profissionais no campo da saúde e demais políticas públicas, sendo imprescindível no tratamento humanizado nos hospitais, centros de assistência e na comunidade como um todo”, destaca.

Dentre os desafios enfrentados pelos/as profissionais do Serviço Social está a assistência à população em situação de rua. Estimativa realizada pelo Instituto Econômico de Pesquisa Aplicada (IPEA), em 2016, mostrou que existiam mais de 100 mil pessoas vivendo em situação de rua no Brasil. “Ainda dentro do contexto da pandemia, por meio do consultório de rua em articulação com demais setores as equipes prestam este serviço. As pessoas em situação de rua no Brasil, em sua grande maioria não tem acesso a políticas sociais de qualidade, o que torna o sistema de saúde vulnerável e desigual”, aponta a tutora.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS) e no Brasil, conforme o Estatuto do Idoso (Lei 10.741 / 2003) definem como idoso/a pessoas com idade de 60 anos ou mais. Esse público é mais um segmento que passa pelos cuidados do profissional de Serviço Social. Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE/2013), o Brasil tem mais de 28 milhões de pessoas nessa faixa etária. Número que representa 13% da população do país. Ainda segundo o IBGE até 2050 a população idosa no Brasil irá dobrar. “O trabalho com população idosa se apresenta para além das demandas já apresentadas em diferentes esferas de políticas públicas, no que tange a pandemia de escala mundial do COVID-19 abrange ainda os/as idosos como grupo de risco ao contágio, sendo estes o maior número de infectados e óbitos em escala mundial. Nesse sentido, a busca por uma assistência de qualidade a este grupo faz-se imprescindível na atuação profissional na linha de frente, uma vez que abrange as política de saúde, assistência e previdência, no tocante a situação econômica, social e de saúde deste público em consonância ao conselho amplo de saúde.” Declara Márcia.

Segundo o Conselho Federal de Serviço Social (CFESS), existem atualmente 188 mil profissionais com registro nos 27 Conselhos Regionais (CRESS) de cada estado do Brasil. Ao profissional cabe analisar, elaborar, coordenar e executar planos, programas e projetos que viabilizem os direitos da população e seu acesso às políticas sociais como saúde, educação, previdência social, habitação, assistência social e cultura, além de analisar as condições de vida da população, elaborar laudos, avaliações e estudos sociais, analisando documentos e estudos técnicos e coletando dados e pesquisas. Assistentes sociais também podem trabalhar no planejamento, organização e administração dos programas e benefícios sociais fornecidos pelo governo e como docentes em faculdades.

Na Pitágoras de Mossoró, a graduação é voltada para a formação de qualidade, primando inserir no mercado de trabalho profissionais com saber técnico-operativo e teórico-metodológico. Com perfil investigativo, conhecedor das políticas sociais, das legislações no que tange a prática profissional bem como os espaços de atuação. A instituição reconhece que é fundamental uma formação de qualidade com base nas normativas educacionais e compreendendo os processos de aprendizagem buscando oferecer ao mercado de trabalho pessoas/profissionais capazes de oferecer um serviço de qualidade.

 

Faculdade Pitágoras

Fundada em 2000, a Faculdade Pitágoras já transformou a vida de mais de um milhão de alunos, oferecendo educação de qualidade e conteúdo compatível com o mercado de trabalho em seus cursos de graduação, pós-graduação, extensão e ensino técnico, presenciais ou a distância. Presente em diversos Estados, a Faculdade Pitágoras presta serviços gratuitos à população, por meio das Clínicas-Escola na área de Saúde e Núcleos de Práticas Jurídicas, locais em que os acadêmicos desenvolvem os estudos práticos. Focada na excelência da integração entre ensino, pesquisa e extensão, a Faculdade Pitágoras oferece formação de qualidade e tem em seu DNA a preocupação em compartilhar o conhecimento com a sociedade também por meio de projetos e ações sociais. A Faculdade Pitágoras nasceu herdando a tradição e o ensino de qualidade oferecido pelo Colégio Pitágoras, fundado em 1966, que também deu origem ao grupo Kroton. Para mais informações, acesse: www.faculdadepitagoras.com.br.

 

Sobre a Kroton

A Kroton, que faz parte da holding Cogna Educação, uma companhia brasileira e uma das principais organizações educacionais do mundo, atende ao mercado B2C do Ensino Superior, levando educação de qualidade em larga escala. Presente em mais de 900 municípios em todo Brasil, a companhia conta com 176 unidades próprias, 1.410 polos de ensino a distância e 846 mil estudantes, sob as marcas Anhanguera, Fama, Pitágoras, Unic, Uniderp, Unime e Unopar. Transformar a vida das pessoas por meio da educação, formando cidadãos e preparando profissionais para o mercado, é a missão da instituição, que trabalha para continuar concretizando sonhos em todos os cantos do país.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.