Um ano de saudades de Tutu!

Meu amigo:

Há exatamente um ano o mundo perdeu um pouco de alegria, coisa tão escassa nesses dias. Há exatamente um ano a sociedade perdeu um homem de bem e do Bem. Elegante, fino e extremamente carinhoso com qualquer pessoa. Uma figura ímpar! Assim era Carlos Augusto Cesar dos Santos Fernandes – Tutu!

Há exatamente um ano seus amigos perderam aquele cara que tinha a capacidade de agregar, de dar motivações a noites que pareciam completamente sem graça. Há exatamente um ano sua família perdeu aquele que centralizava as coisas e encontrava soluções para quaisquer problemas. Há exatamente um ano eu, particularmente, perdi um dos grandes amigos que amealhei na vida. É duro lembrar que não mais podemos nos ver. Como consolo, ficaram gravados no HD da memória os incontáveis momentos agradáveis que passamos por essa vida.

São tantas histórias que passamos, meu amigo, que não consigo sequer me ater a uma deles. Culpa da emoção, talvez. As viagens, que tinham como finalidade a participação da AABB em torneios, se transformavam em alegres, saudáveis e saudosas farras. E nossa amizade se fortalecia ainda mais. Quando paramos de jogar, continuamos a nos encontrar. Um whisky aqui e outro acolá, mas sempre com o constante prazer que sentimos quando estamos ao lado de um amigo

O tempo havia passado e você “inventou” a Confraria do Nordestão. Eu, Ricardinho, Evaristo (Deú), o Coronel Gurgel, Leonídio e Marilene, Cleto Barreto, sem falar em Henrique Costa – que hoje aí está ao seu lado – eram agora os atletas desse novo time. Uma seleção imbatível que varava as noites entre conversas, risadas e “causos”, muitos “causos”! (Se omiti algum nome peço desculpas.)

Você deixou marcas, Tutu. Sua simplicidade era transparente. Lembro-me do gari que largava seu carro de lixo e vinha apertar a sua mão num claro gesto de, aí sim saudável, falta de distanciamento social. As atendentes do Pittsburg nunca lhe esqueceram. Sempre que as encontro a frase é mesma: “Que saudade Tutu deixou, Minervino.” Aliás, as expressões estampadas em seus rostos dispensam qualquer legenda.

Mas, meu querido amigo, as conversas quase diárias na praça de alimentação do Nordestão da Prudente se acabaram com sua partida. Restaram, tristes, cadeiras e mesas vazias. Como tristes e vazios estão os corações de todos os que tiveram o privilégio de desfrutar da sua companhia.

Sei que um dia nos reencontraremos mas, confesso, não tenho a menor pressa. (Essa é somente para lhe ver sorrindo outra vez.)

Um grande e fraterno abraço e até um dia.

Compartilhe:

Comentários (9)

  • Altenides Responder

    Que bela homenagem. Parabéns! (Whatsapp)

    14 de janeiro de 2021 at 10:41
  • Gilberto Bilro Responder

    Verdadeira prova de amizade, coisa tão difícil de se encontrar. Não tive o prazer de desfrutar de perto a sua amizade, mas o conhecia e sabia um pouco sobre as suas qualidades, relatadas pelo Amigo. (Whatsapp)

    14 de janeiro de 2021 at 10:40
  • Beto Coronado Responder

    Muito bom ! Grande Tutu ! (Whatsapp)

    14 de janeiro de 2021 at 10:38
  • Edilson Fernandes Responder

    Merecida homenagem! (Whatsapp)

    14 de janeiro de 2021 at 10:37
  • Herts Responder

    Badé, bela homenagem! Saudades do amigo Tutu. (Whatsapp)

    14 de janeiro de 2021 at 10:36
  • CARLINHOS DUTRA Responder

    Meu amigo Tutu. Covivencia de colégio Marista desde desde 1966. Vivemos momentos bons no BB. Atleta sensacional. Hoje somente saudades., mas vivo no meu coração.

    13 de janeiro de 2021 at 18:28
  • Pipolo Responder

    Grande homenagem. Trabalhamos juntos no BB. Nobre alma humana. Bom amigo e colega.

    13 de janeiro de 2021 at 17:28
  • MARCUS GUEDES Responder

    Mano Minervino, a foto que você postou expressa tudo que você escreveu!
    Sem mais palavras!

    13 de janeiro de 2021 at 17:00
  • Evaristo Responder

    Grande amigo! Impoluto e Probo!

    13 de janeiro de 2021 at 16:39

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.