AVÓ DÁ À LUZ AO PRÓPRIO NETO PARA REALIZAR SONHO DE FILHA QUE NASCEU SEM ÚTERO

Maree Arnold, 54, se ofereceu para ser gestar o bebê da sua filha Meagan White, 28 (Foto: Reprodução/7 News)

A australiana Maree Arnold se ofereceu para ser barriga de aluguel da filha, Meagan White, 28, depois que ela descobriu uma síndrome que a impedia de engravidar. O bebê nasceu no último dia 13, depois de um parto de apenas duas horas: “Chegamos ao hospital às 7h e às 9h ele nasceu, foi muito rápido e organizado”, disse a avó.

Uma mulher australiana de 54 anos deu à luz pela sexta vez no último dia 13 de janeiro. Mas um detalhe chamou a atenção da equipe do hospital: Meagan White, desta vez, trouxe ao mundo o próprio neto.

Ela se ofereceu para ser barriga de aluguel da filha, Meagan White, 28, depois que ela descobriu uma síndrome que a impedia de engravidar. O bebê nasceu bem e saudável após um trabalho de parto de apenas duas horas. “Chegamos ao hospital às 7h e às 9h ele nasceu, foi muito rápido e organizado”, disse Maree, em entrevista ao canal australino 7 News.

Para Meagan, a experiência de ser mãe de primeira viagem é a realização de um sonho. Segundo ela, o pequeno Winston “não está dando muito trabalho” e “dormindo muito bem” desde que saiu do hospital. “É difícil descrever o que senti quando ele nasceu. Foi sem dúvidas o momento que caiu a ficha de que era real”, comentou.

Meagan e o marido Clayde White, ao lado do pequeno Winston e da avó Maree (Foto: Reprodução/7 News)

Meagan e o marido Clayde White, ao lado do pequeno Winston e da avó Maree (Foto: Reprodução/7 News)

 

Aos 17 anos, Meagan foi diagnosticada com a síndrome de Mayer-Rokitansky-Hauser (SMRKH), uma condição em que a vagina e o útero são pouco desenvolvidos ou sequer existem. Apesar de ter nascido sem útero, Meagan tem ovários preservados. Isso quer dizer que ainda poderia ter um filho biológico por meio de barriga de aluguel.

A ideia de usar a avó como barriga de aluguel veio depois de uma tentativa frustrada com uma mulher voluntária. A primeira transferência de embriões não deu certo, mas a segunda foi bem-sucessida e a voluntária engravidou em dezembro de 2019.

Porém, em março de 2020, Meagan e o marido receberam a notícia de a filha não tinha rins e, por isso, não sobreviveria. “Todos ficaram de coração partido e eu senti vontade de desistir. Aí a pandemia começou, as viagens para o exterior foram proibidas e tudo parecia ainda mais impossível”, lembrou em entrevista ao jornal britânico Daily Mail.

Maree Arnold, 54, se ofereceu para ser gestar o bebê da sua filha Meagan White, depois que ela descobriu que havia nascido sem útero (Foto: Reprodução/Daily Mail)
Maree Arnold, 54, se ofereceu para ser gestar o bebê da sua filha Meagan White, depois que ela descobriu que havia nascido sem útero (Foto: Reprodução/Daily Mail)

Depois de conversar com médicos, psicólogos e advogados, decidiram que Maree, mãe de Megan e neta do futuro bebê, seria a candidata ideal para ser barriga de aluguel. Mesmo já tendo passado pela menopausa, Maree recebeu medicamentos para reverter o processo e preparar o útero para uma gravidez, aos 54 anos.

“Eu sempre achei que já estava muito velha para fazer algo do tipo. Acho que uns 45 anos é o limite, mas, como sou mãe dela, acho que os médicos foram mais flexíveis”, disse Maree. Ainda assim, a transferência de embriões só deu certo na quarta tentativa.

A filha diz que se sente grata pela atitude da mãe em ajudá-la a realizar esse sonho. “Não consigo nem colocar em palavras o quanto eu sou grata pelo que ela está fazendo. Não há mais ninguém no mundo com quem eu preferisse passar por essa experiência”, afirmou Meagan.

Com informações da Crescer

Compartilhe:

Comentário (1)

  • Anônimo Responder

    O amor de uma mãe é algo que não tem igual. Por isso que são chamadas de “anjos de Deus”.

    29 de janeiro de 2022 at 09:20

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.