Dalton Melo de Andrade


BARBA E BIDODE

  Por Dalton Mello de Andrade Sempre estou pensando. Nem que seja “nonsense”.   Dias passados escrevi sobre a passagem do tempo. Sua velocidade estonteante. E disse da minha ansiedade em chegar aos dezoito anos. Nessa ansiedade, embora com menor intensidade, estava minha expectativa em fazer a barba. E, quem sabe, nutrir um bigode. Os […]

ARTIGO – MEU TIO PELÚSIO (II)

Por Dalton Mello de Andrade Mais algumas estórias de Pelúsio. Desta vez, à medida que vêm a memória, sem preocupação com a sequencia. São interessantes de qualquer jeito. Uma das mais interessantes, e que não é piada. No tempo da guerra, Pelúsio, e os seus outros três colegas da Saúde do Porto, viviam praticamente em […]

ARTIGO – MEU TIO PELÚSIO 

  Por Dalton Mello de Andrade    Médico, formado em Recife em 1936, veio para Natal, mas foi convidado para trabalhar em Campo Grande (Augusto Severo), onde passou um certo tempo e de onde tinha lembranças de seu inicio de carreira bastante interessantes. Era o único médico da cidade, naquele tempo, e vivia sempre muito […]