Cuidados odontológicos em pacientes com tumores no sistema nervoso central (Anna Letícia Xavier de Lima)

Reprodução

Os tumores do sistema nervoso central (SNC) ocorrem devido ao crescimento de células anormais no cérebro das crianças, correspondendo à segunda incidência de malignidade e ao tumor sólido mais comum na infância. O diagnóstico precoce dos tumores cerebrais pode diminuir a morbidade da doença e as sequelas a longo prazo. A taxa de sobrevida de pacientes com essa neoplasia vem aumentando com o tempo, devido a melhora no diagnóstico, com os exames de imagem e pela melhoria nos tratamentos oferecidos.

Com relação aos cuidados odontológicos, pacientes com tumores do SNC necessitam de um cuidado especial, pelo fato de que a doença e o próprio tratamento geram sequelas, que limitam o autocuidado com higiene, alterando a dinâmica bucal. Algumas alterações comuns nesses pacientes são: trismo (dificuldade de abertura bucal), hiposalivação (geralmente causada pelo número variado de medicamentos usados de forma conjunta), cáries radiculares, doenças no periodonto e, principalmente, elevado acúmulo do biofilme dentário (massa composta por bactérias colonizadoras da cavidade oral) e saburra lingual (tapete esbranquiçado, que se forma na língua), que são reflexo da deficiência e dificuldade de higiene desses pacientes.

Os pacientes portadores de tumores no SNC, geralmente, apresentam déficits e alterações em áreas como: compreensão verbal e gramatical, aptidões motoras e motricidade fina, áreas de atenção e concentração e de aprendizagem. Por isto, o cuidado com a saúde bucal, na maioria dos casos, é transferido a terceiros (familiares ou cuidadores). Uma abordagem de tratamento multidisciplinar é fundamental na recuperação e manutenção em saúde, melhorando a qualidade de vida desses pacientes.

Na Casa Durval Paiva, estes pacientes recebem, assim que diagnosticados, o acompanhamento no setor de odontologia, onde é realizada a orientação aos pais e a criança, sobre a importância e como realizar a correta higienização da cavidade bucal, pois alguns meios menos comuns de higiene podem ser necessários, como: uso de fio dental com haste (forquilha) e uso de escovas elétricas ou interdentais. Além disso, são dadas instruções sobre uma dieta não cariogênica (dieta que não favoreça o surgimento da cárie) e sobre a necessidade de formas de reforço à higiene bucal, como bochechos de flúor e clorexidina.

Anna Letícia Xavier de Lima é Dentista da Casa Durval Paiva – CRO/RN 5213

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.