DJOKOVIC: MESMO COM SITUAÇÃO INDEFINIDA, SÉRVIO APARECE COMO FAVORITO NO ABERTO DA AUSTRÁLIA, AO LADO DE MEDVEDEV

Segundo a Betfair, o sérvio lidera as cotações para vencer o torneio australiano, porém após indefinições em sua permanência no torneio, a disputa ficou equilibrada

REUTERS/Leonhard Foeger

No calendário do tênis, o Australian Open é o primeiro Grand Slam da temporada. Em 2022, o torneio tem previsão de início para o dia 17 de janeiro, mas uma polêmica chegou antes, com o atual líder do ranking masculino e vencedor das três última edições do torneio, o sérvio Novak Djokovic, impedido de entrar no país por não apresentar às autoridades locais o comprovante vacinal contra a Covid-19. Na internet, o episódio valeu ao tenista um novo apelido: “NoVax” (não à vacina, em tradução livre).

Nesta última segunda-feira (10), o atleta conseguiu a apelação na justiça local que garantiu sua permanência no país, porém o governo australiano ainda pode retirar o pedido e deportar Djoko, impossibilitando de buscar seu décimo título no Aberto da Austrália.

Segundo análise da Betfair, o cenário da probabilidade para vencer o campeonato mudou desde os prognósticos de 1º de dezembro de 2021. Djokovic possuía 40% de chances de conquistar o Grand Slam, já Daniil Medvedev, atual segundo colocado do ranking, estava com 31,3%.

Nesta semana, em meio às indecisões da permanência de Djokovic no torneio, o russo Daniil Medvedev entrou na briga pela conquista Grand Slam ao igualar com Djokovic em 43,3% as de chances de conquistar o Aberto da Austrália. Os tenistas foram finalistas na edição de 2021, e o sérvio levou a melhor sobre o russo, vencendo por 3 sets a 0. Medvedev deu o troco no final do ano, ao vencer o Aberto dos EUA e tirar de Djokovic a chance de conquistar um raríssimo Golden Slam (vencer os quatro maiores torneios do tênis mundial no mesmo ano).

Outros atletas acabaram vendo subir suas chances de vencer o torneio. O alemão Alexander Zverev, número três do mundo, aparecia com 16,7% em dezembro, neste mês subiu para 29,4%. Já Rafael Nadal, subiu de 8,3% para 10% de chance de vencer na Austrália, conclui a análise da Betfair.

Roger Federer, o tenista detentor do recorde de 310 semanas como número um do mundo e seis vezes vencedor do Australian Open, não participará do torneio de abertura da temporada por conta de uma lesão.

Novak Djokovic é o principal vencedor do torneio australiano com 9 títulos e está na briga com Rafael Nadal e Roger Federer para definir quem encerra a carreira com mais títulos de Grand Slam na história, cada um deles possui 20 conquistas nos quatro principais torneios de tênis do mundo.

Torneio feminino

Naomi Osaka, a primeira japonesa a conquistar um Grand Slam de simples, quer chegar ao tricampeonato após vencer em 2019 e 2021. Ela terá como principais concorrentes a alemã Angelique Kerber, a polonesa Iga Swiatek, a tcheca Karolina Pliskova e, principalmente, a jovem australiana, líder do ranking WTA, Ashleigh Barty.

Jogando em casa, a australiana é a favorita na conquista do Australian Open com 25% de chances segundo a Betfair. Naomi Osaka aparece em segundo com 15,4%, na sequência Iga Swiatek e Garbine Muguruza estão com 7,7% de chances. As irmãs americanas, Serena e Venus Williams estão fora da disputa deste ano por motivos de saúde.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.