O CÂNCER E SEUS SIGNIFICADOS –  Por Keillha Israely Fernandes 

Ilustração

Keillha Israely Fernandes 

Assistente Social – Casa Durval Paiva 

CRESS/RN 3592 

 

O câncer é um tipo de doença que assusta e amedronta. Durante muito tempo a palavra câncer não podia nem ser dita, diante do significado arraigado a crenças e valores negativos, pois, na perspectiva do senso comum, remete sempre à morte. As pessoas diziam: “aquela doença”, “fulano está com CA”, dentre outros tipos de nomenclaturas, que até hoje ainda perduram no imaginário de uma parte significativa da sociedade.

Infelizmente, mesmo após muitos avanços no tratamento oncológico, e maior disseminação e discussão sobre a temática, ainda vivenciamos atitudes preconceituosas e repletas de estigmas. “Existem pessoas que acreditam que o câncer pega, que é algo contagioso, e não querem nenhum tipo de contato com os pacientes”. Esse é um dos muitos relatos que ouvimos durante os atendimentos sociais, visitas domiciliares e demais intervenções.

O serviço social é a porta de entrada do paciente e seu acompanhante na Casa Durval Paiva. Ao receber o diagnóstico oncológico, o paciente é encaminhado à instituição, onde realizamos o processo de cadastro, acolhimento, e encaminhamento para a equipe multidisciplinar. Nesse primeiro contato com o paciente e sua família nos deparamos com os mais diversos relatos, que atestam atitudes preconceituosas.

As famílias algumas vezes até preferem esconder de todos que o filho ou a filha está passando por tratamento oncológico, alegando querer evitar a curiosidade, a pena e o preconceito por parte dos próprios familiares, vizinhos e da comunidade onde vivem. Para muitos, saber que tal pessoa (parente) está com câncer é algo extremamente ruim, pois, é como se este já estivesse com o atestado de óbito assinado.

Na verdade, sabemos que o tratamento contra o câncer é algo pesado, trata-se de um caminho longo, repleto de curvas sinuosas, mas, precisamos reconhecer também que esse caminho pode levar a experiências de superação fantásticas, ou seja, é uma luta que pode levar à vitória, haja vista que já nos deparamos com muitas histórias com finais felizes.

Partimos sempre do pressuposto que o indivíduo deve ser respeitado e tratado de forma ética em todos os sentidos. Estes devem ser reconhecidos como sujeitos de direitos e, para isso, na atuação cotidiana e diária enfatizamos sempre para as famílias que tais significados negativos devem ser minimizados. Não importa a opinião de terceiros, nem ao menos a curiosidade das outras pessoas, pois, o que importa realmente é que eles percebam que o câncer é uma doença que tem tratamento, e que precisam seguir em busca da cura. Nossa atuação é reforçada por meio do suporte da equipe multidisciplinar, onde juntos buscamos romper com tais visões equivocadas e negativas, a fim de oferecer um tratamento digno e humanizado aos nossos pacientes e seus familiares.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.