PENSE! O Dia Em Que A Marinha do Brasil Estragou A Festa Da OTAN

A proeza do S Tamoio – S 31 aconteceu em maio de 1997, quando realizou viagem ao exterior, integrando um GT com a F União – F 45 e a Cv Júlio de Noronha – V 32, participando a convite de Portugal da Operação LINKED SEAS 97 da OTAN, realizada entre os dias 15 e 19 de maio ao largo da Península Ibérica, entre a costa portuguesa e o Estreito de Gibraltar.

Nessa operação, o Tamoio conseguiu “afundar” o Porta-Aviões espanhol SMS Príncipe de Asturias – R 11, furando o bloqueio da escolta composto por mais de dez fragatas e contratorpedeiros.

Entre outros navios participou desse exercício a Cv francesa Amyot D’Inville – F 782. Essa comissão durou 68 dias e foram navegadas mais de 12.000 milhas náuticas, com o GT retornando a Base Naval do Rio de Janeiro em 16 de junho.

Dezenas de fragatas, destroiers, aviões e helicópteros anti-submarino e submarinos da poderosa e sofisticada Otan caçam de forma implacável um submarino inimigo, o objetivo era proteger o porta aviões espanhol “Príncipe de Astúrias”. No fundo do mar sofisticados “assassinos ” submarinos nucleares classe Los Angeles e submarinos da OTAN ajudam na caça.

O inimigo?
Muito prazer, “Tamoio”. S-31 Tamoio Marinha do Brasil.

Furtivo e operado pelos mais treinados submarinistas da América Latina, ele dribla em silêncio o gigantesco aparato montado para caçar e destruir o submarino brasileiro.
O comandante ordena a subida do periscópio e vê, à sua frente, o majestoso “Príncipe de Astúrias ” navegando majestoso. Sem saberem, seriam “afundados” pelo submarino brasileiro. O som das câmaras de torpedos sendo acionadas de forma simulada se espalha pelo oceano.
O espanto é geral em dezenas de comandantes de navios.

Refeitos da surpresa, sabendo que o “Astúrias” havia sido afundado, o Comando Naval da OTAN anseia por vingança era questão de honra.
A ordem é dada:
– Afundem o Tamoio!
A habilidosa tripulação brasileira trabalha como homens de gelo, sem emoção. De forma espetacular e furtiva o Tamoio ludibria navios, aviões, helicópteros e submarinos que o caçavam.

A onipotente Otan é humilhada!

Assim o Tamoio sobe a superfície já perto de Lisboa e chega em segurança. spetacular vitória da Marinha brasileira que havia sido convidada pela Otan para participar do exercício. Os oficiais da Marinha do Brasil vibravam, nem eles acreditavam no que tinha acontecido.

No debriefing, os incrédulos oficiais da OTAN olhavam pasmos para as fotografias que o Tamoio havia tirado de seus alvos.
Em situação real o Tamoio teria afundado diversos alvos se quisesse.

A notícia rapidamente se espalhou no mundo com a Tyssen Krupp vendendo mais submarinos para vários países.
Sem querer a MB virou garota propaganda dos submarinos alemães.
Fonte: Revista Tecnologia e Defesa número 80.
Ps: O estrago e repercussão foi tamanho e de tal ordem que a mais poderosa marinha do mundo, a americana, implantou um programa e estudos para combater a ameaça de modernos submarinos diesel elétricos. Muitas marinhas foram convidadas para levar seus submarinos diesel elétricos para serem analisados nos EUA.

– Prazer, meu nome é Tamoio, Marinha do Brasil!

Fontes: naval.com.br e Fuzenave

Compartilhe:

Comentário (1)

  • ADILSON DE VARGAS RODRIGUES Responder

    Esse é o Brasil que o brasileiro gostaria de ter.
    Sério, habilidoso, furtivo e honesto.

    10 de setembro de 2020 at 04:18

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.