PROCON VAI MULTAR EXTRA POR DISCRIMINAÇÃO E MÉTODO VEXATÓRIO DE COBRANÇA APÓS ENTREGA DE BANDEJA SEM CARNE

Etiqueta entregue no lugar do produto no açougue do Extra Cambuci, à esquerda; à direita, carne pesada e entregue ao cliente no açougue do Extra Brigadeiro — Foto: Patrícia Figueiredo/g1 SP

O Procon disse nesta terça-feira (19) que irá multar a rede de supermercado Extra por discriminação e método vexatório de cobrança. A medida será aplicada após uma cliente do Extra do Jardim Ângela, na Zona Sul de São Paulo, denunciar nas redes sociais que o mercado entrega bandejas vazias de carne até que o valor do produto seja pago no caixa.

Na segunda (18), a reportagem do g1 verificou que a prática também ocorreu na unidade do Cambuci, na região central. Funcionárias das duas unidades disseram que a estratégia é usada para evitar roubos.

Em nota, o Extra admitiu a ‘falha de procedimento’ e disse que prática será suspensa.

Segundo o diretor do Procon, Fernando Capez, se for comprovado que a prática era adotada por unidades de determinados bairros, a autuação poderá ser feita com base no faturamento global e chegar a R$ 10,9 milhões.

“Vai ser apurado e pode ser que a multa seja aplicada com base no faturamento global, e a empresa que vá se defender depois”, disse Capez ao g1 por telefone.

“É inaceitável critérios de discriminação, em razão do local ou porque qualquer outro critério. Se em outros estabelecimentos, em outros bairros, não existe esse tipo de exigência, não se justifica que a população do Jardim Ângela seja submetida a um vexame”, disse o diretor em um vídeo divulgado pelo Procon nesta terça.

Caso tenha sido uma determinação do gerente da unidade, o valor será aplicado com base no faturamento da loja.

DO G1

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.