Stephen Hawking: um pouco da sua história de superação

© Doug Wheller / Wikimedia Commons

Hawking foi sempre considerado um gênio. Na escola se diferenciava, amava física e astronomia e ganhou uma bolsa na Universidade de Oxford.

Sua inteligência era admirável, mas ele precisou enfrentar um grande desafio que foi colocado na sua vida: uma doença degenerativa chamada Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA) que, aos poucos, tiraria toda a mobilidade do seu corpo. Essa doença afeta diretamente os músculos, mas não afeta a capacidade de manter o cérebro ativo, e Hawking tirou o máximo proveito do seu.

Diagnosticado aos 21 anos, Hawking foi informado pelos médicos de que poderia falecer em três anos. Apesar disso, viveu até os 76, lutando contra a doença por mais de 50 anos! Teve ao seu lado uma esposa e grande apoiadora, Jane Wilde.

Ao longo do desenvolvimento da doença, Hawking precisou de um sintetizador de voz para se comunicar, após ter sofrido uma pneumonia, tendo que realizar um procedimento médico no pescoço. Com o passar dos anos, seus músculos foram atrofiando. Por volta de 2009, não conseguia mais controlar sua cadeira de rodas.

Quando não conseguiu mais se comunicar pelo sintetizador de voz, um grupo de cientistas ajudou na criação de métodos computadorizados que, pelo movimento da bochecha ou dos olhos de Hawking, permitissem que ele continuasse se comunicando.

Apesar de toda a gravidade da sua doença e das limitações físicas existentes, o físico criou teorias fundamentais da física moderna, em temas como a gravidade quântica. Um dos seus livros mais famosos foi Uma Breve História do Tempo. Com uma linguagem simples e com uma escrita com ótimo humor, seu livro sobre a origem do universo fez enorme sucesso. O cientista faleceu sendo considerado um verdadeiro gênio que trouxe inúmeras contribuições para estudos da física.

Assim, Hawking superou qualquer previsão da medicina e, com sua vontade de viver e de desvendar o mundo da física, manteve seu cérebro ativo, mesmo quando o corpo já estava paralisado. Como ele mesmo dizia: “pessoas quietas possuem mentes barulhentas”.

“Não importa quanto a vida possa ser ruim, sempre existe algo que você pode fazer, e triunfar. Enquanto há vida, há esperança.”

Stephen Hawking

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.