Chegam ao Brasil tecnologias israelenses para o desenvolvimento sustentável da Amazônia

Imagem: Reprodução/Internet

Soluções inéditas foram apresentadas durante o Amazon Tech realizado nesta quinta-feira; iniciativa da Câmara Brasil- Israel (BRIL Chamber) marca o início de uma série de discussões para abordar temas de interesse binacionais

São Paulo, novembro de 2020 – O Amazon Tech é o início de uma série de discussões promovidas pela Câmara Brasil-Israel (BRIL Chamber) para fomentar a união de tecnologias israelenses inéditas com a experiência de empresários e profissionais brasileiros. O evento realizado nesta quinta-feira (26) teve a participação do vice-presidente da República, Hamilton Mourão, e do Embaixador de Israel no Brasil, Yossi Shelley, entre outras autoridades.

A iniciativa está inserida no conceito de Economia 5.0, uma nova visão das lideranças globais que prevê uma economia ligada a tecnologia e conectada com o crescimento econômico e o desenvolvimento social.

“Vamos aproximar as mais avançadas tecnologias israelenses ao desenvolvimento e necessidades da região Amazônica nas áreas de telemedicina, segurança de florestas e navegação, sustentabilidade e biodiversidade, acelerando os cultivos com menor custo e preservação da natureza”, afirma Renato Ochman, presidente da BRIL Chamber.

“O Amazon Tech é o primeiro evento da BRIL na Amazônia para promover o intercâmbio de tecnologia, conhecimento e parcerias entre Brasil e Israel. Todos sabemos o potencial da floresta e a grande oportunidade de desenvolvimento dessa região”, afirma o embaixador de Israel no Brasil, Yossi Shelley.

Já o vice-presidente brasileiro, Hamilton Mourão, disse que iniciativas como o Amazon Tech contribuem para divulgar as oportunidades de investimento na Amazônia e ajudam a engajar o maior número de empresas e agências governamentais de países parceiros. “A diversidade ecológica da Amazônia oferece amplas oportunidades, mas seu aproveitamento depende de uma articulação entre capital, conhecimento, trabalho, tecnologia e natureza. E as lideranças empresariais desempenham um papel central para esse novo ciclo econômico de crescimento verde da Amazônia”.

O evento marcou também a inauguração da regional da Câmara Brasil-Israel no Amazonas, que faz parte de uma estratégia da entidade de descentralização com criação de regionais em todo o Brasil, possibilitando a empresários, de diversas regiões brasileiras e de vários segmentos, terem acesso a tecnologias israelenses de ponta. No início desse mês foi inaugurada a regional do Mato Grosso. “Temos no Brasil muitas oportunidades nas áreas de agronegócio e sustentabilidade e Israel tem muito para contribuir”, afirma Ochman.

“A nova regional da Câmara Brasil -Israel no Amazonas trará um olhar de como a parceria entre os dois países pode apoiar o lado acadêmico assim como empreendedor da região, focando em três principais eixos: Bioeconômia, Segurança e Saúde”, ressalta Ilana Benchimol Minev, que assume a diretoria da BRIL Chamber no Amazonas.

David Feffer (diretor presidente da Suzano Holding ), Miguel Krigsner (CEO do Boticário) e Candido Bracher (CEO do Itaú- Unibanco) participaram do Painel Meio Ambiente na Visão das maiores empresas brasileiras, coordenado por Guilherme Horn, no qual destacaram as ações e projetos focados em sustentabilidade que suas empresas vem desenvolvendo ao longo dos anos.

Denis Benchimol Minev e Jacques Marcovitch, ambos da Fundação Amazonas Sustentável – FAS) e Mariano Cenamo (Fundador do Idesam e co-fundador da Plataforma Parceiros pela Amazônia – PPA e acelerador de startups na região participaram do Painel Amazônia Sustentável: Pensamento e Ação, que contou com a moderação da cientista política Ilona Szabó.

Outra novidade lançada no evento foi o projeto de intercâmbio de startups brasileiras e israelenses. O programa, promovido pela BRIL Chamber, permite que as empresas brasileiras se estabeleçam em Israel e tenham acesso aos maiores fundos globais focados em investimento high tech e também a novas tecnologias. A estimativa da BRIL é que as startups brasileiras terão um valuation até cinco vezes maior na comparação com o das startups estabelecidas somente no Brasil. É um grande valor agregado para um IPO no futuro.

Painel de Tecnologias

Um destaque do Amazon Tech foi o painel Tecnologias Israelenses, que contou com a introdução de Tatiana Schor secretária executiva de Ciência, Tecnologia e Inovação, (SEDECTI) e a participação de especialistas e empresas de tecnologias inéditas israelenses, com soluções de startups que irão promover o desenvolvimento sustentável da Amazônia. Algumas delas são:

SeeTree (www.seetree.ai)

A SeeTree oferece visibilidade dos registros de saúde e da produtividade de cada árvore, a qualquer momento e ao longo do tempo. O resultado é uma transformação da forma como as árvores são geridas, levando a um aumento significativo da rentabilidade. A tecnologia permite que os agricultores priorizem e personalizem seus métodos de corte até o nível de uma única árvore e otimizem as produções e a colheita de forma revolucionária em comparação com as práticas comuns. Também oferece uma espécie de “waze das árvores” para ajudar no tratamento de árvores problemáticas de maneira eficiente. Os principais diferenciais são registros de produtividade e saúde de cada arvore com foco na rentabilidade dos agricultores.

Planet Whatchers (www.planetwatchers.com)

A PlanetWhatchers utiliza imagens de satélite de fontes múltiplas e outros dados em combinação com algoritmos dedicados a coletar, processar e gerar insights para gestores de recursos naturais em silvicultura, agricultura, mineração, entre outros.

SpacePharma

A SpacePharma criou um laboratório de microgravidade miniaturizada para desenvolvimento de novos medicamentos no espaço. A solução promete, com uma fração do custo, taxas de sucesso mais altas do que em experiências realizadas com métodos de pesquisas tradicionais. De tentativas de quebrar o processo de envelhecimento ao desenvolvimento de remédios para câncer e asma, os experimentos mais inovadores estão ocorrendo no espaço.

Carbyne

Testada pela Secretaria de Segurança Pública do Pará durante o pico de pandemia de Covid-19, a plataforma de salvamento da Carbyne permite a comunicação em tempo real dos acidentados com os centros de emergência, obtém a localização exata do usuário de qualquer smartphone e transforma a chamada em vídeo ao vivo. Desta forma, os atendentes dos serviços de socorro conseguem ver o paciente, avaliar as emergências relatadas e prestar atendimento remoto enquanto a ajuda está a caminho.

Todo o conteúdo do Amazon Tech está disponível nas redes sociais da Câmara Brasil e Israel – Facebook: @brilchamber e You Tube: bril chamber

Confira em: https://www.youtube.com/watch?v=gIBw92Bm7eM

Compartilhe:

Comentário (1)

  • carlos alberto cunha Responder

    Na verdade, a bioeconomia já é realidade no País desde a década de 1970, quando foi criado o Programa Nacional do Álcool (Proálcool). Graças a essa iniciativa, surgida na época para enfrentar a crise mundial do petróleo, o Brasil é hoje um dos maiores produtores e exportadores do etanol. O que não dá total credibilidade nessa pretendida parceria é o distanciamento entre a teoria que glamouriza essa associação com Israel e a prática do governo brasileiro que não tá nem aí para a degradação da Amazônia e tolera a utilização de produtos nocivos, comprovadamente, na agricultura de ponta.

    27 de novembro de 2020 at 17:20

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.