EDITORA É PROCESSADA POR CHAMAR FUNCIONÁRIA DE “VOVÓ” EM REPORTAGEM

Renault Kadjar, carro avaliado na reportagem que rendeu processo à revista Fleet World. (Divulgação/Renault)

Uma editora britânica foi processada por uma ex-funcionária, que não gostou de ser retratada como “uma vovó” em uma reportagem. O texto em questão avaliava o Renault Kadjar, automóvel do mercado europeu similar ao Captur, modelo da mesma marca que circula no Brasil.

Anne Dopson, ex-diretora de vendas da Stag Publications, disse a um tribunal de trabalho que ficou chateada quando o carro foi descrito na reportagem em questão como “confortável para uma vovó”. Ela tinha 62 anos na época.

Dopson reclamou que, embora ela tivesse três netos, a referência tinha sido uma piada com a idade dela e “causou risos no escritório”. Ela renunciou ao cargo com salário de £ 50 mil por ano e moveu um processo judicial contra o editor.

Apesar de criticar editora, juiz não puniu empresa

O juiz avaliou que a expressão usada pela reportagem equivale a tratamento “prejudicial” e “menos favorável” de Dopson, porque chamou a atenção para sua idade.

A sentença, no entanto, não atendeu à queixa da ex-diretora de vendas. Suas alegações de demissão sem justa causa e discriminação por idade foram rejeitadas, pois, segundo o juiz, o comentário foi considerado um incidente “isolado”. A decisão afirma ainda que Dopson ultrapassou o limite de tempo para reclamações.

Reportagem testava modelo da Renault com sete lugares

Dopson começou a trabalhar para a editora, mídia e empresa de eventos em 2002 como gerente de publicidade. O público-alvo era o comércio automotivo e uma de suas publicações era a Fleet World, que em sua edição de maio de 2017 incluía um texto de Steve Moody, o editor, sobre o modelo Renault de sete lugares.

No artigo, Moody afirmava que o Kadjar foi testado por vários funcionários da empresa ao longo de um ano, incluindo Dopson. Segundo a reportagem de avaliação do carro, o Kadjar “tem três atributos como transporte familiar, um como automóvel para o solteiro na cidade e o outro como opção confortável para uma avó”.

Procedimento interno rejeitou reclamação da então funcionária

“Eu não tenho nenhum problema em ser avó e… Nos últimos sete anos, desde que Tom [seu neto] nasceu, tenho prazer em aproveitar todas as oportunidades para mostrar suas fotos a todos, mas não concordo com o que poderia ser visto como uma intromissão sobre a minha idade “, escreveu ela em um email para o chefe.

“Coruja”, Anne inclusive mantém uma foto do neto até mesmo em seu perfil profissional na rede Linkedin.

A editora rejeitou a reclamação da Dopson, assim como uma audiência para tentar uma conciliação no caso. Dopson saiu de licença médica e pediu demissão sem voltar ao trabalho.

FONTE: MEDIA TALKS

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.