Festival Varilux de Cinema Francês promove virtualmente exibição de filme e debate em homenagem ao Dia Nacional da Consciência Negra

Foto: Divulgação

A edição 2020 do Festival Varilux de Cinema Francês promove sessão online do filme “Sou Francês e Preto”, de Jean-Pascal Zadi e John Wax, distribuído pela Bonfilm, no próximo dia 20 de novembro (sexta-feira), às 18h. A exibição será gratuita e seguida de bate-papo, às 19h30m, mediado pelo cineasta e crítico de cinema Clementino Jr., com a participação do cineasta Joel Zito Araújo; da pesquisadora e coordenadora do FICNE (Fórum Itinerante de Cinema Negro) Janaína Oliveira e do ator, diretor e roteirista Alberto Pereira Jr. A 11ª edição da mostra acontece entre os dias 19 de novembro e 3 de dezembro nos cinemas de todo o país.

O debate – realizado em comemoração ao Dia Nacional da Consciência Negra, que em virtude do momento de pandemia, ocorrerá de forma remota – será transmitido simultaneamente no Facebook: https://pt-br.facebook.com/variluxcinefrances e no YouTube do Varilux: https://www.youtube.com/user/variluxcinefrances

Para participar da exibição online da comédia – que levou mais de 800 mil espectadores às salas de cinema na França -, os interessados devem fazer a inscrição pelo link: https://www.eventbrite.com.br/e/sessao-sou-frances-e-preto-festival-varilux-de-cinema-frances-2020-tickets-129484133529 O link de inscrição também estará disponível no site do festival, dentro da aba “eventos” http://variluxcinefrances.com/2020/eventos/

O bate-papo será transmitido pelo YouTube e Facebook do Festival Varilux, às 19h30m, de forma gratuita e aberta, sem necessidade de inscrições. O público poderá participar e enviar perguntas pelo chat ao vivo. Legendada, a exibição do filme será liberada para os primeiros 300 inscritos e os contemplados receberão, no próprio dia 20/11, um link com senha para o vimeo. O trailer de “Sou Francês e Preto” pode ser conhecido aqui: https://youtu.be/YU5Thw4cvVg

Sinopse: JP, um ator mal-sucedido de 40 anos, decide organizar o primeiro grande protesto pela causa negra na França, mas seus encontros, muitas vezes burlescos, com personalidades influentes da comunidade e o apoio entusiasta de Fary, o fazem hesitar entre o desejo de estar à frente dos palcos e seu engajamento enquanto militante.

O diretor Jean-Pascal Zadi

Jean-Pascal Zadi começa sua carreira pelo rap, como integrante do grupo La Cellule, mas já se coloca também atrás da câmera, dirigindo clipes e documentários. O primeiro deles, “Des Halls aux bacs” (2004) acompanha o percurso dos rappers independentes, mais tarde conhecidos como Sefyu e Youssoupha. No mesmo ano, se associa a seu amigo de infância Geoffroy Dongala, para fundar a empresa Gombo Productions. Graças a ela, Zadi lança em 2008 seu primeiro longa de ficção, “Cramé”, com um orçamento de apenas 5 mil euros. Dois anos mais tarde é a vez de “African Gangster”, estrelado pelo rapper Alpha 5.20, que vende 10 mil exemplares em formato de vídeo. Em 2011, Jean-Pascal Zadi segue sua trajetória de diretor com “Sans pudeur ni morale”. Depois do documentário “African Dream”, a respeito do Magic System, chama atenção para o seu trabalho graças ao Canal +, no qual aparece no segmento Le Before du Grand Journal. Em 2020, obtém grande sucesso junto a um público amplo com “Sou Francês e preto”, codirigido com John Wax. Autor de filmes vistos até então apenas no circuito alternativo, com esta comédia ele alcança não só grandes plateias nas salas de cinema, como também vê sua obra repercutir numa atmosfera mobilizada pelo noticiário e pelo movimento Black Lives Matter.

Serviço

Data: 20/11/2020, sexta-feira – Sessão online: “Sou Francês e Preto” às 18h

Vagas LIMITADAS – Após a inscrição, o participante receberá por e-mail (no dia da exibição) um link com a senha para assistir ao filme. Link para inscrição:

https://www.eventbrite.com.br/e/sessao-sou-frances-e-preto-festival-varilux-de-cinema-frances-2020-tickets-129484133529

Debate: 19h30m – será transmitido pelo Facebook e YouTube do Festival Varilux e não precisa de inscrições

Sobre os participantes:

Clementino Júnior é cineasta, educador audiovisual, doutorando em educação pelo GEASur/UNIRIO, mestre em educação e fundador do CAN – Cineclube Atlântico Negro.

Joel Zito Araújo é diretor, roteirista, produtor, conhecido por tematizar o negro na sociedade brasileira. Sua obra inclui o livro e filme A Negação do Brasil, ganhador do É Tudo Verdade em 2001, o longa ficcional As Filhas do Vento (2005), ganhador do Festival de Tiradentes e de 8 Kikitos no Festival de Gramado, os docs Cinderelas, Lobos e um Príncipe Encantado (2009), RAÇA (2013) e MEU AMIGO FELA (2019), com vários prêmios internacionais. Atualmente está montando o seu novo longa ficcional O Pai da Rita.

Janaína Oliveira é pesquisadora e curadora, doutora em História, professora no IFRJ (Instituto Federal do Rio de Janeiro), e Fulbright Scholar no Centro de Estudos Africanos na Universidade de Howard, em Washington D.C. nos EUA. Desde 2009, desenvolve pesquisa sobre as cinemastografias negras e africanas, atuando também com curadora, consultora, júri e painelista em diversos festivais e mostra de cinema no Brasil e no exterior. Em 2019 realizou a mostra “Soul in the eye: Zózimo Bulbul’s legacy and the Contemporary Black Brazilian Cinema” no IFFR – International Film Festival Rotterdam. Foi também consultora de filmes da África e da diáspora negra para o Festival Internacional de Locarno (2019-2020). Atualmente é curadora do Encontro de Cinema Negro Zózimo Bulbul (RJ), do FINCAR (Festival Internacional de Realizadoras / PE) e da Baobácine Mostra de Filmes Africanos de Recife. Faz parte da APAN (Associação dos Profissionais do Audiovisual Negro). É idealizadora e coordenadora do FICINE, Fórum Itinerante de Cinema Negro (www.ficine.org) e é a programadora do Flaherty Film Seminar (Nova York) para 2021.

Alberto Pereira Jr. é artista social, ator e atua há seis anos no mercado audiovisual como diretor, roteirista e gerente criativo, com passagens pelas produtoras Academia de Filmes, Conspiração Filmes, FremantleMedia Brasil e Elocompany. Como jornalista, atuou seis anos no Grupo Folha de S.Paulo. Atualmente, apresenta, roteiriza e dirige o programa “Trace Trends”, revista eletrônica sobre cultura afrourbana e empoderamento, no ar na RedeTV e no canal a cabo Trace Brazuca. Paulistano da zona leste da cidade, é fundador do bloco de carnaval Domingo Ela Não Vai.

O Festival Varilux de Cinema Francês 2020

Um clássico e 17 longas-metragens inéditos e recentes (2019/2020) da cinematografia francesa integram a seleção do Festival Varilux 2020 que será realizado presencialmente nos cinemas de todo país entre 19 de novembro e 3 de dezembro. Entre eles, um documentário e 17 longas de ficção com gêneros como comédia, drama e animação. Ainda não há um número definido de cidades e de cinemas participantes. Devido à pandemia do novo coronavírus, alguns exibidores terão a opção de programar o festival em datas diferentes – até o final de fevereiro de 2021. O importante, de acordo com a Bonfilm, produtora do evento, é que as produções cheguem ao público em todo Brasil e contribuam para a retomada dos cinemas do país.

O evento é realizado pela produtora Bonfilm e tem como patrocinador principal a Essilor/Varilux, além do Ministério do Turismo, Secretaria Especial de Cultura; a Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro e Secretaria Municipal de Cultura. Outros parceiros importantes são a rede das Alianças Francesas em todo Brasil, a Embaixada da França no Brasil, as distribuidoras dos filmes – Bonfilm, Bretz/ MyMamma, California Filmes, Diamond Films, Vitrine Filmes e Zeta Filmes – e os exibidores de cinema independente/de arte e as grandes redes de cinema comercial.

_________________________________________________________________

A Bonfilm é realizadora do Festival Varilux de Cinema Francês, que completou dez anos em 2019. Sucesso de público e mídia, o evento esteve no ano passado em 86 cidades e 23 estados brasileiros. Nesses dez anos foram realizadas cerca de 35 mil sessões e somou um público de mais de um milhão de espectadores (1.064 milhão). Desde 2015, a Bonfilm realiza também o festival de filmes ópera “Ópera na Tela” ao ar livre no Rio de Janeiro e em cinemas de todo Brasil. Em 2019 promoveu uma primeira edição em São Paulo.

Sobre a Essilor Líder mundial em lentes oftálmicas para óculos, a Essilor International cria desenhos, produz e comercializa uma vasta gama de lentes corretivas.  Sua missão é melhorar vidas através da visão. Para cumprir esta missão, a empresa investe anualmente 200 milhões de euros em pesquisa e desenvolvimento e seu espírito inovador foi atestado pela revista norte americana Forbes onde figurou por oito anos consecutivos, até 2018, no ranking das 100 Empresas Mais Inovadoras do Mundo. Além disso, em 2015 a companhia foi listada entre as 50 empresas da FORTUNE’s Change the World List. As marcas mais emblemáticas da Essilor International são: a lente multifocal Varilux®, a fotossensível Transitions®, o antirreflexo Crizal®, a lente solar polarizada Xperio®, a antiembaçante Optifog™, a lente Eyezen™ que reduz o esforço ocular na leitura em telas, e, lançada em 2019, a lente com proteção dupla contra raios UV e luz azul-violeta nociva Blue UV Filter™. A empresa também desenvolve e comercializa equipamentos, instrumentos e presta serviços aos atuantes no mercado óptico.

SERVIÇO

Festival Varilux de Cinema Francês 2020 – Data: de 19 de novembro a 3 de dezembro

Os valores dos ingressos são os praticados por cada rede exibidora

Cidades confirmadas até 10.11: Aracaju (SE), Araçatuba (SP), Balneário Camboriú (SC), Barueri (SP), Belém (PA), Belo Horizonte (MG), Botucatu (SP), Brasília (DF), Campinas (SP), Campo Grande (MS), Caxias do Sul (RS), Cotia (SP), Cuiabá (MT), Curitiba (PR), Florianópolis (SC), Fortaleza (CE), Indaiatuba (SP), Jaboatão dos Guararapes (PE), João Pessoa (PB), Jundiaí (SP), Londrina (PR), Maceió (AL), Manaus (AM), Maringá (PR), Natal (RN), Niterói (RJ), Pelotas (RS), Petrópolis (RJ), Porto Alegre (RS), Recife (PE), Ribeirão Preto (SP), Rio Branco (AC), Rio de Janeiro (RJ), Rio Grande (RS), Salvador (BA), Santos (SP), São Luís (MA), São José dos Campos (SP), São Paulo (SP), Sorocaba (SP), Teresina (PI), Vitória (ES) e, Vitória da Conquista (BA).

Novas cidades e os cinemas participantes podem ser conferidos no site

http://variluxcinefrances.com/2020

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

dezesseis − 12 =