ABRASEL propões aos governantes debate público e transparente sobre fim do lockout de bares e restaurantes

Foto:Ligia Skowronski

Nesses tempos difíceis de pandemia do novo coronavírus, quando bares e restaurantes estão proibidos de funcionar por força de decretos, os prejuízos só crescem, e o risco de desemprego atormenta empresários e colaboradores, famílias inteiras. Com tanta incerteza e insegurança, a Abrasel decidiu cobrar transparência a prefeitos e governadores em todo o Brasil. Em vídeo publicado na terça-feira, dia 14, o presidente nacional da entidade, Paulo Solmucci, enviou mensagem ao setor. Chegou a hora de darmos transparência à sociedade. Qual é a real situação de cada localidade? Onde estamos mal e onde estamos bem?”

Para Solmucci, no momento de medo em que vivemos, só devem ser somadas as boas informações e a transparência para que a sociedade possa, junto aos seus governantes, tomar decisões que atendam da melhor forma aos interesses coletivos. A Abrasel almeja o fim do lockout em todo o território nacional, sem pressão, sem riscos, em um processo aberto e transparente, com a participação de vários segmentos sociais.

E a reação à mensagem da Abrasel já começa a ganhar adeptos. O governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, é um dos primeiros a entender a importância da transparência neste momento. Ele também publicou vídeo endossando a campanha da Abrasel. “Assim como pessoas que se cuidam, buscam um equilíbrio entre a vida pessoal, familiar e profissional, o Estado também precisa cuidar do equilíbrio entre saúde, emprego e amparo social aos que mais precisam”, declarou o governador gaúcho.

Seguindo a orientação nacional, a seccional da Abrasel no Rio Grande do Norte distribui a mensagem de Paulo Solmucci entre representantes de pastas governamentais e outras autoridades, lançando a necessidade de uma reflexão mais ampla sobre o funcionamento e o fim do lockout de bares e restaurantes, de forma consciente e responsável, sem pressão e sem definir datas, mas para traçar parâmetros e garantir antecedência para as empresas se articularem e se prepararem para a reabertura para que se evite um colapso total no setor. 

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.