EM NATAL, UM JOVEM NEGRO TEM 5,3 MAIS CHANCES DE SER ASSASSINADO DO QUE UM JOVEM BRANCO

FOTO: DIVULGAÇÃO

Este dado alarmante constará no 1º Diagnóstico sobre o Genocídio da Juventude Negra Natalense, documento da Frente Parlamentar da Juventude, presidida pelo vereador Pedro Gorki (PCdoB), em parceria com o Observatório da Violência do Rio Grande do Norte – OBVIO.

Nesta terça-feira (23), a Frente Parlamentar da Juventude da Câmara Municipal de Natal realizou a Audiência Pública para discutir o enfrentamento ao Genocídio da Juventude Negra em Natal. O debate, que durou cerca de 4 horas e contou com dezenas de falas dos participantes, reuniu institutos de pesquisa, movimentos sociais, Ministério Público, conselheiros tutelares, estudantes, professores, entidades do meio jurídico, Secretarias Estadual e Municipal de Juventude e Direitos Humanos, além de familiares e amigos de jovens negros assassinados.

“Enquanto o futuro dos jovens negros natalenses for interrompido por uma violência desumana e enquanto a inexistência de dignas condições de vida resultar no predomínio das condições de morte, se indignar e enfrentar o genocídio em curso é um dever humanitário que deve unir toda a sociedade natalense” afirma o vereador Pedro Gorki, que apresentou dados inéditos coletados pelo OBVIO e COINE, em parceria com o OBIJUV.

Priscila, mãe de Giovanne Gabriel, jovem de 18 anos que assassinado por policiais quando ia para a casa da namorada, falou com muita emoção sobre o caso do seu filho: “Milhares e milhares de jovens foram mortos como meu filho. O assassinato de Giovanne só foi descoberto porque eu fui pra luta, não me calei e nem tive medo. Eu fico me perguntando ‘que mundo é esse em que a gente vive?’”

A Audiência Pública foi encerrada após a deliberação da constituição de um Grupo de Trabalho para estruturar o texto do Diagnóstico e propor nele políticas públicas para o enfrentamento ao genocídio em curso.

FONTE: Jan Varela (84) 999299764

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.