Já pensaram em honorários advocatícios de R$ 91 milhões?

REPRODUÇÃO

Prevista para ser finalizada em agosto, a recuperação judicial da Oi, iniciada em 2016 com um passivo de R$ 65 bilhões, é uma montoeira de papéis e processos de números superlativos.

Na semana passada, o administrador judicial da recuperação, Escritório Arnoldo Wald de Advocacia, encaminhou à Justiça um requerimento de “honorários complementares” por 28 meses de trabalhos extras.

E assim, pediu mais R$ 21,8 milhões, além dos R$ 70 milhões que já havia recebido. As informações do jornalista Lauro Jardim, de O Globo, foram publicadas na edição de sábado (23).

O Espaço Vital complementa.

A Oi, anteriormente conhecida como Telemar, ainda é a maior operadora de telefonia fixa do Brasil, sendo também uma das maiores empresas do setor de telecomunicações na América do Sul. Hoje atua até na base brasileira da Antártida, além de possuir cabos submarinos e atuar em Moçambique, através do Oi Futuro.

No total, possui concessões para a oferta de serviços de telefonia fixa em 25 Estados brasileiros, além do Distrito Federal, atuando também através de autorizações nas regiões atendidas pela Vivo, Algar Telecom e Sercomtel.

Em 2010, a Oi adquiriu a Portugal Telecom, mas vendeu os ativos operacionais portugueses em 2015 para a empresa de telecomunicações neerlandesa Altice.

Em dezembro de 2020, um consórcio formado por Vivo, Tim e Claro comprou os ativos móveis por R$ 16,5 bilhões e em 31 de janeiro de 2022, a Anatel aprovou a venda da companhia por unanimidade. Mas o CADE – Conselho Administrativo de Defesa Econômica – aprovou a compra com ressalvas.

Fonte: espacovital.com.br

Compartilhe:

Comentário (1)

  • Aderson Ulrico de Oliveira Cavalcanti Responder

    A gente tem de ficar de “Oi” nestas negociatas,pois tem muito ladrão VIVO, temos de esmiuçar TIM porTIM, até este negócio ficar bem CLARO…

    27 de julho de 2022 at 16:52

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.