“Motorzinho” do dentista pode acabar depois de inovação alemã

No lugar do “motorzinho” inovação alemã desenvolve instrumento vibratório de alta velocidade. Foto: reprodução/ Istock

Uma inovação alemã pode mudar a ida ao dentista e acabar com o tão temido medo do “motorzinho”.

Engenheiros desenvolveram um sistema para substituir o aparelho por uma solução mais amigável: um mecanismo vibratório que se assemelha a um pequeno martelo de alta velocidade.

“Ao usar a vibração em vez da rotação, a lima não fica entupida tão rapidamente, o que significa menos limpezas frequentes. Os dentistas podem focar mais no trabalho no canal. O risco de quebrar a lima também diminui. Para os pacientes, isso significa que o tratamento do canal termina mais rápido”, disse o Dr. Holger Neubert, do Instituto Fraunhofer de Tecnologias e Sistemas Cerâmicos.

Como isso ajuda no tratamento de canal?

Essa inovação não deixa só a limpeza mais rápida, mas também resolve o problema das obstruções que fazem a gente sentir que o procedimento nunca vai acabar.

Durante procedimentos como o tratamento de canal, é necessário usar uma lima para remover tecido inflamado do canal radicular, que é como o “miolo” do dente, onde ficam os nervos e vasos sanguíneos.

O problema é que a lima rotativa convencional costuma ficar obstruída, demandando limpezas frequentes e prolongando o tempo do procedimento.

No lugar da tradicional broca rotativa de alta velocidade, esse novo sistema adota um mecanismo vibratório, assemelhando-se a um minúsculo martelo de alta velocidade.

Adeus “motorzinho”

A mudança seria no “atuador” que, em vez de um motorzinho, é feito de um material piezoelétrico.

Esse instrumento especial se estica quando recebe eletricidade, criando movimentos contínuos como pulsações, alternando a corrente elétrica.

Resultado: limpeza do canal igualzinho a uma lima manual, mas muito mais rápido e sem entupimentos contantes da lima.

Pequeno e rápido

Os atuadores baseados em piezocerâmica são pequenos, compactos, rápidos, precisos, fáceis de controlar e não geram muito calor.

Com essas características, a equipe alemã conseguiu criar um dispositivo portátil pequeno o suficiente para se encaixar nos espaços apertados da boca dos pacientes.

Ou seja, uma experiência no dentista que mais rápida e confortável.

Com informações do Só Notícia Boa e Diário da Saúde. 

Espalhe notícia boa!

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *