PENSE! Carcinicultura do RN será beneficiada com criação de startup

Agecom – UFRN

Um projeto voltado para oferecer comodidade, segurança e agilidade na relação comercial entre o produtor e o comprador de camarão e peixes cultivados foi um dos selecionados na etapa final do Projeto Centelha no Rio Grande do Norte, iniciativa promovida pelo Sebrae. A ideia virou a empresa Potimarket e conta com a participação do professor da Escola Agrícola de Jundiaí (EAJ) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Rodrigo Antonio Ponce de Leon Ferreira de Carvalho, de Wilfredo Blanco, docente da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), de Rodrigo Souza, diretor da RN Soft e Charles Mendonça da INOVA Consultoria.

Ao contextualizar a iniciativa em um artigo publicado recentemente, Rodrigo Carvalho enfatizou que as empresas atualmente devem estar preparadas para atender às expectativas do consumidor 5.0, os nativos digitais que privilegiam a experiência de compra e interação instantânea e horizontal com as marcas. “A Potimarket está imersa neste panorama, com uma equipe multidisciplinar com formação e experiência em Aquicultura, com ênfase na produção, certificação, processamento e comercialização de camarões; em Computação, com ênfase em TI, computação gráfica e inteligência computacional; bem como Empresarial”, ressaltou.

O professor do Curso Técnico em Aquicultura da EAJ falou ainda que a ideia de desenvolver um projeto na área vinha sendo discutida há mais de seis anos, e o edital do Centelha acabou sendo o pontapé inicial que precisava. “Trabalhei na indústria do camarão cultivado antes de ser professor na UFRN, e esta experiência, combinada a experiência de Wilfredo e de Rodrigo Souza na área de computação, e de Charles Mendonça no mercado, nos ajudaram a chegar até aqui. O projeto visa buscar resolver a dor de cabeça do produtor na hora de comercializar o seu produto e a dificuldade dos compradores em encontrar fornecedores. A expectativa é que a cadeia produtiva da aquicultura do estado seja extremamente beneficiada”, explicou o docente.

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) foi responsável por mais de 30% das propostas aprovadas na última etapa do Programa Ideias Inovadoras do Programa Centelha, cuja lista completa foi divulgada no fim do primeiro semestre deste ano e está disponível neste link. Dentre as 15 propostas aprovadas, seis tiveram como titulares professores da Instituição.

 

Fonte: Wilson Galvão de Ascom Agir

Compartilhe:

Comentários (2)

  • Ivanilsa Freire da Rocha Responder

    Que Deus abençoe à essa produção! Amém ❣️

    28 de julho de 2020 at 11:03
    • Redação Responder

      Vamos à luta!

      28 de julho de 2020 at 18:50

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *